quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Cervejaria Bohemia e os fotógrafos sem noção

          Ciao ragazzi,

          Ontem naquele climinha bão de feriado no Rio de Janeiro o que eu fui fazer???


          Tá louco?? E perder toda essa minha brancura!!!

          Sem falar que ninguém merece praia no feriado. Aquela coisa vazia (sqn).


          Imagina se eu tenho coragem de me espremer como sardinha em lata dentro do Metrô pra depois ficar disputando espaço na areia por um lugar pra assar como frango na farofa. Affff sou carioca, mas não gosto de praia, só no inverno, mas aqui tem inverno??? sei lá, deixa pra lá.

          Pois bem, namorido inventa que temos que fazer um passeio (é, 40º lá fora e ele quer que eu goste do passeio, sei não), mas não sabe onde ir. Então pede para eu escolher.

          Então a minha ideia foi


          Claro que tinha que ser uma cidade em que as pessoas não vão se cutucar melados em protetores solares, ou em bronzeadores e cheios de areia, comendo espetinho de camarão e aos berros com as crianças para terem cuidado com a água.

          Obviamente que escolhi Petrópolis, um lugar calmo, em que o sol tem um pouquinho de piedade da minha pele morena e que tem isso aqui:


          Tudo planejado, só faltava acordar cedo (oi?? como?? eim??). Falhamos nessa (tá, falhei nessa, mas era feriado, tem que perdoar).

          Chegamos em Petrópolis às 14:30h e fomos direto para a Cervejaria, até aí tudo corria bem, até que entramos na fila. A fila pode ser pequena, mas sempre temos a sensação de que ela é assim: 


          E ainda vem uma atendente com o papo:

          - Desculpe pessoal


          (você já entra em pânico "cacete saí de casa e essa budega não vai fazer o tour, eu quero minha cerveja de degustação")

          - Nosso sistema não está funcionando, mas mesmo sem sistema faremos o tour de vocês.


          Mais uns 15 minutos na fila e começa a peregrinação dos viciados em Selfies.


          Um casal atrás de nós estava com a melhor invenção de 2014: O pau de selfie.


         É, imaginem só, enquanto isso eu espero o skate voador para 2015. Mas fazer o quê?? Reclamar com Bob Gale que prometeu, em De volta para o futuro, e não cumpriu.

          Voltando ao assunto.

        Ela lá toda feliz e já batendo todas as fotos que seu sorriso permitia, logo na bilheteria. Sem contar os que estavam na frente que também já começaram a tirar quantas fotos o celular permitia.

          Na nossa vez de comprar o ingresso, a mocinha vem com mais uma história:

          - Devo avisar que....


          (eu já estava começando a chorar pensando: "não vai ter degustação")

          - O sistema continua ruim e não terá interatividade, por isso cobraremos meia entrada, mas o resto do tour funcionará normalmente, incluindo a degustação.


          Iniciamos o tour, e claro, tem coisa pra caramba pra ler. É a história todinha da cerveja, em um tour de 1:30h. Tudo bem até que...


          Um senhorzinho sem noção queria tirar foto em tudo, era selfie, era foto normal era o cacete a quatro. E fazia cara feia se ficássemos parados atrapalhando sua foto. Mas, cara, eu paguei para aprender (e degustar), não é esse o objetivo do tour??? Ou eu sou a errada. 

          As pessoas passaram tão rápido pela primeira sala, onde tinha a história da cerveja, que o mocinho do tour veio apreçar a mim e o namorido (que já foi ficando puto). Não tínhamos terminado de ler e nem de ver as interatividades que estavam funcionando. 

          Com isso o namorido já foi reclamar com o mocinho e me puxou para ultrapassar o velhinho selfista.


          E com uma boa corrida fomos para o fronte do Tour, mas não melhorou. Ninguém lia, ninguém se importava, todo mundo tirava selfie.

          Era tanta foto que se você procurar na internet, consegue fazer o tour sem sair de casa. Sério, é bizarro.

          Cada sala com uma coisa mais bacana que a outra. Eu queria mesmo era levar o pote de malte de cevada pra casa, mas não deu.


          Que negócio gostoso, voltamos umas duas vezes pra comer mais um pouquinho. kkkkkk

      As outras salas contavam todo o processo de produção, tem vídeo contando a história da Cervejaria, salas com livros, móveis e instrumentos da época. Tudo muito bacana.

      Entre mortos e feridos, fotos e selfies, caras feias e empurrõezinhos básicos para a foto. Chegamos ao melhor momento do tour:


          O momento da degustação. Uma Pilsen novinha em folha, com o sabor incrível e aroma maravilhoso. Aí sim, essa mereceu uma foto.


          Ainda teve uma outra degustação da cerveja escura, mas nessa não teve foto. Só a que um casal educado pediu pra tirar.

          O passeio é muito bom. O museu bem interessante, dá pra aprender muita coisa no tour, a cerveja nem preciso dizer. Adorei cada minuto e, com certeza, eu vou voltar (juro que não é pela cerveja).

          Nada contra a quem adora uma selfie, eu também acho algumas bem bacanas, até tiramos a nossa.


          Mas ninguém merece os "sem noção". A maioria nem aprendeu nada com o tour, só tirou foto pra postar que estava na Cervejaria.


*A interatividade do tour era um cadastro de email, na qual você faz rótulos, fotos, postais entre outros e tudo é enviado para o seu email. Mas há algumas interatividades que acrescentam informações a sala ou objeto que você está observando, o que "atrasava o grupo" se você quisesse ler as informações.

Cervejaria Bohemia
Rua Alfredo Pacha, 166
Ingresso: R$ 24,00
Menores de 18 anos não pagam e devem ser acompanhados dos pais ou responsáveis.

3 comentários:

  1. Tete,
    Que legal o passeio!
    As pessoas estão muito sem noção com fotos mesmo, é cada coisa que vejo!
    O bom é que você se divertiu
    bjs,
    Luana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luana,
      O passeio foi ótimo. Petrópolis nunca decepciona. Adoro aquele lugar. rsrsr
      E graças a São Pedro, não choveu. Porque da última vez, voltamos pra casa igual dois pintinhos molhados. kkkkkk
      Bjkss

      Excluir
  2. Que legal! Adorei o post e as informacoes. Abracao!

    ResponderExcluir